Jogos universitários: como incluir a diversidade e ética?

4 minutos para ler

Vamos falar de diversidade e inclusão? Você já deve ter percebido como o tema tem se tornado cada vez mais frequente, tanto é que faz parte do discurso de muitas pessoas. Só que alguns setores, como o dos jogos universitários, ainda estão evoluindo nesse aspecto.

Por falar nisso, você sabe como promover diversidade nos jogos universitários? Ética, respeito às diferenças e inclusão social são algumas das boas práticas que podem — e devem — ser aplicadas nas universidades. Afinal, o esporte representa um momento de união, né?

Então, bora investir uns minutos para entender melhor sobre o assunto? Acompanhe o nosso post!

O que mudou nos jogos universitários?

Já reparou como mudanças sociais afetam o mundo todo? Trazendo o tema para o universo dos jogos universitários, já conseguimos perceber uma consciência mais voltada para a diversidade, a ética e o respeito, além de maior representatividade.

Antes, as atléticas universitárias não contavam tanto com a participação das mulheres na gestão e nos esportes. Hoje já vemos meninos e meninas envolvidos nas atividades durante a vida na universidade. Tem mais:

  • depredações de alojamentos e ginásios, antes ou depois de jogos, diminuíram;
  • músicas com teor mais ofensivo foram substituídas por outras com letras construtivas e que despertam a empatia;
  • torcidas têm demonstrado maior respeito enquanto acompanham seus times;
  • a preocupação com as causas sociais tornou-se um dos pilares das atléticas.

Essa postura mais consciente em prol da diversidade nos jogos universitários é uma conquista importante. Somente assim, todos se sentem incluídos e respeitados. Aliás, é isso que o esporte deve incentivar, concorda? Bora fazer nossa parte?

Como estimular a diversidade nos jogos universitários?

Como gestores e gestoras de atlética, temos uma parcela de responsabilidade em garantir a organização de jogos universitários e eventos com foco na diversidade e na inclusão. Afinal, queremos proporcionar uma experiência incrível para todos.

Além de promover o clima de bem-estar, atitudes conscientes vão dar um orgulho enorme para todo mundo. Sem contar que é um movimento que contagia. Lembre-se de que gentileza gera gentileza. Veja só como você pode fazer sua parte!

Incentive o respeito às diferenças

Vamos combinar que o primeiro passo para transformar qualquer ambiente começa com a conscientização. Por isso, busque incentivar dentro da atlética atitudes que se baseiam no respeito ao próximo, na ética e na inclusão social. É só uma questão de tempo até viralizar.

Crie músicas que causem empatia

Sabe aquele hino que a torcida canta a plenos pulmões? Ou aquelas músicas que embalam as coreografias das equipes de cheerleading no intervalo dos jogos? Na hora de pensar na letra com toda a turma, leve em conta a mensagem que quer passar e se ela faz sentido para todos.

Proponha uma maior integração

Engajar os alunos é uma das missões da atlética. Afinal, todos estarão juntos na maior parte das atividades (jogos universitários, festas e eventos em geral). Nada como manter aquele clima confortável que faz bem para todo mundo e incentiva a participação, né?

Penalize posturas inadequadas

Tem gente que sempre aprende do jeito mais difícil. Então se alguém adotar uma postura preconceituosa ou até mesmo discriminatória, é preciso estipular uma penalização. É assim no trânsito, nos jogos de futebol e também na vida universitária.

Use a expulsão quando necessário

Uma das penalidades máximas é a expulsão, que deve ser utilizada como último recurso. Vale para comportamentos inadequados frequentes. Lembre a todos que a diversidade nos jogos universitários é uma questão de maturidade e respeito.

Embora já seja uma realidade, a diversidade e a ética ainda são temas delicados. Tanto que ainda encontramos diversas atitudes questionáveis por aí. O ponto positivo é que, aos poucos, isso está mudando.

Para evitar atritos dentro ou fora das quadras, é importante abordar o assunto de forma consciente, além de estimular o questionamento da postura e a empatia. Seu papel é incentivar a diversidade nos jogos universitários sem repreender. Com o tempo, o respeito às diferenças, a ética e a inclusão social farão parte da cultura da atlética. Assim, a vida universitária será marcada por momentos de união, integração e amizade.

Bora fazer essa conscientização ganhar força? Compartilhe este post nas redes sociais e comece dando o exemplo!

Posts relacionados

Deixe um comentário