Baterias Universitárias: Saiba como elas ajudam a Atlética

6 minutos para ler

Muito conhecidas no meio universitário por agitarem as competições em que a atlética está envolvida, as baterias universitárias ganharam espaço nos últimos anos e se consolidaram na cultura das universidades como parte fundamental de sua cultura.

Por isso, é interessante conhecer a história das baterias, saber quais são as principais baterias que tocam Brasil afora e também sua influência nos jogos em que a atlética participa, já que elas estão cada vez mais presentes.

Contaremos agora como surgem as baterias universitárias, explicando a influência das baterias para o desempenho da atlética e também como formar e gerenciar uma bateria universitária. Confira os detalhes abaixo e tenha uma ótima leitura!

Entenda como surgem as baterias universitárias

As baterias universitárias nascem, em sua grande maioria, pelo amor e apoio do corpo estudantil para com os times das atléticas nos jogos universitários. Sendo parte da cultura universitária e representando a animação e a força dos estudantes, elas se apresentam durante os jogos, em festas das universidades e até mesmo em eventos de sua cidade ou região.

Em geral, as baterias universitárias são formadas por iniciativa dos alunos, que encontram nos grupos uma maneira de expressar sua paixão e admiração pela universidade e também uma forma de socializar com colegas do mesmo curso ou de cursos do mesmo campus.

Além disso, as baterias universitárias são responsáveis por incentivar eventos de interação entre os diversos grupos da universidade e de participar ativamente das competições esportivas da atlética, incentivando sua participação e garantindo o apoio dos alunos aos times.

Conheça algumas das baterias de atléticas parceiras da Umais

Para entender melhor o que torna única cada uma das baterias universitárias, contamos um pouco sobre algumas das baterias de atléticas parceiras da Umais. Confira os detalhes abaixo!

ATLÉTICA DE DIREITO UFRJ

Formada pelos alunos do curso de direito da UFRJ, a atlética de Direito conta com a Rabugenta. A bateria conta com o mascote Rabugento e é conhecida por tocar diversos estilos, visando animar os atletas e movimentar as arquibancadas. Segundo seus membros, o que faz a bateria única é “a paixão de cada ritmista pela maior do brasil que nos acompanha em cada show e arquibancada”.

A Rabugenta ainda não participa de competições e campeonatos, mas tem interesse em fazer parte dos circuitos de competição entre as baterias universitárias do país.

@atleticadanacional @bateriarabugenta

ATLÉTICA ESPM RJ

Outra atlética parceira da Umais, a Atlética da ESPM do Rio de Janeiro tem a Torcida Jacachaça, sua bateria universitária. Os mascotes são o Jacarito e a Rita da Lagoa e a bateria afirma que “nossa bateria é baseada no Samba, mas de modo geral somos bem ecléticos e também tocamos outros ritmos, como barra brava e baião, sempre procurando evoluir musicalmente”.

Segundo eles, “uma bateria por si só já é especial, é a alma de qualquer torcida, que, de uma maneira inexplicável, faz o coração bater mais forte a cada segundo. Mas nós não somos qualquer torcida, não somos qualquer bateria. Somos tricampeões geral do JUCS, colocamos nossa alma em cada batida. É sobre uma paixão insaciável e única, muita união, amizade e respeito. É sobre sempre perder a voz, sair com as mãos sangrando, a coxa e a canela roxa, carregando instrumentos para onde for. Nós damos o máximo e muito mais pra o impossível se tornar realidade. É sobre ser louco por inteiro. Todos juntos ou não somos ninguém”.

Eles são tricampeões, como melhor torcida, dos Jogos Universitários de Comunicação Social – JUCS, dos anos de 2012, 2015 e 2017.

@atleticaespmrio @torcidajacachaca

ATLÉTICA ENGENHARIA FEI

A Atlética da Engenharia da FEI também é parceira da Umais e também conta com uma bateria universitária, chamada “Bateria do Inferno”. Seu mascote é o Diabinho e a bateria define seu estilo como ” uma bateria de arquibancada, mas buscando evolução a cada dia para nos firmarmos no mundo das competições”. Segundo eles, a união e o comprometimento da bateria, através do samba, é a torna única.

A bateria já participou da Balatucada 2012, foi a terceira colocada na CBU 2019 (Copa das Baterias Universitárias de 2019) e também já fez duas apresentações na quadra da escola de samba Rosas de Ouro.

@frangaosaboia @bateriadoinfernooficial

Veja a influência das baterias para o desempenho da atlética

Como falamos anteriormente, as baterias universitárias se formam para fortalecer a torcida pelas atléticas nos eventos esportivos de que ela participa. Por isso, quanto melhor e mais estruturada for a bateria universitária, maior o impacto e o incentivo para os competidores e também para os torcedores.

Outra informação importante é que muitas baterias universitárias participam de eventos próprios, como competições entre baterias de diversas universidades, ajudando a divulgar as atléticas e fortalecendo sua presença no meio universitário.

Por isso, as baterias universitárias têm um importante papel, tanto no apoio das equipes da atlética nos jogos quanto elas mesmas participando de competições locais, estaduais ou nacionais, além de serem atrações importantes em eventos, festas e formaturas.

Além disso, as baterias desenvolvem um forte elo entre seus membros e a comunidade local, já que muitas vezes ela é o principal ponto de contato entre a população de uma cidade ou região e a comunidade acadêmica, servindo como representantes das atléticas e das universidades.

O que você achou de entender melhor como surgem as baterias universitárias, saber quais são as principais do país e qual a influências delas para o desempenho da atlética, além de entender como formar e gerenciar uma bateria universitária? Se você gostou deste post e deseja se atualizar sempre sobre esse universo, siga-nos nas redes sociais — estamos no Facebook e no Instagram!

Posts relacionados

Deixe um comentário